Fernão Capelo Gaivota

O Paraíso não é um lugar, nem um tempo. O Paraíso é ser perfeito.

de José "Garel" Alvoeiro  Tinta da China (Art Pen) sobre papel, 40 x 30 cm, 2008
de José “Garel” Alvoeiro
Tinta da China (Art Pen) sobre papel, 40 x 30 cm, 2008

A perfeição não está ligada a nenhuma medida, porque medidas são limites, e a perfeição não tem limites.

O Paraíso não é um lugar nem um tempo, porque lugar e tempo não significam nada.

Se dependermos de coisas como espaço e tempo, então, quando finalmente ultrapassarmos coisas como espaço e tempo, estaremos destruídos. Mas, ultrapassado o espaço, tudo o que nos resta é aqui. Ultrapassado o tempo, tudo o que nos resta é agora.

Temos que por à parte tudo que nos limita. O truque está em você deixar de se ver como um corpo limitado. O truque está em saber que sua verdadeira natureza vive tão perfeita quanto um número não escrito, em toda a parte e ao mesmo tempo, através do espaço e do tempo.

Saiba que você não é só carne e osso, mas sim uma idéia perfeita de liberdade, que nada consegue limitar.

Cada um de nós é, na verdade, uma idéia de Deus, uma idéia perfeita de liberdade. Todo o seu corpo, dos pés a cabeça, não é mais que seus próprios pensamentos. Você tem liberdade de ser seu próprio eu, aqui e agora, e não há nada que possa se interpôr no seu caminho. Convença-se de que você é livre e que pode prová-lo a si próprio se dedicar-se a treinar um pouco. Você precisa continuar descobrindo, pouco a pouco, seu EU verdadeiro e ilimitado. Ele é seu melhor instrutor. Você precisa compreendê-lo e treiná-lo. Você tem que treinar-se até ver o verdadeiro eu de cada pessoa, o que há de bom em cada uma delas, e ajudá-las a ver isso nelas próprias. Isso é o Amor.Quando conseguir por isso em prática, até irá achar divertido.

Não creia no que seus olhos lhe dizem, tudo o que mostram é limitação. Olhe com o entendimento, descubra o que você já sabe, e verá como viver.

Não há limites. 

Você não pode ter medo de aprender. Continue trabalhando no amor.

Sua corrida para o aprendizado acaba de começar.

 (adaptado livremente do Livro “Fernão Capelo Gaivota”  de Richard Bach. Ótima leitura, recomendo)

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s